Vou viajar

11 de maio de 2017

Dez dicas de viagem que só uma mãe pode dar


Curtindo o Atacama em família com muito amor
Cada família é uma família, assim como cada filho é um filho. Eu não acredito, portanto, que exista fórmula pronta para viagens com crianças. Há famílias capazes de percorrer o mundo acampando e sem roteiro planejado, e há outras que só conseguem pensar em férias num resort com recreação e caipirinha. Quem está errado? Quem acha que alguém está errado.

Foi só nisso que pensei quando o Vou Viajar foi convidado para participar da superblogagem coletiva sobre As dicas de viagem que só uma mãe pode dar. Como dar dicas sem impor crenças? Como despertar o maravilhoso desejo de viagem em outra família sem propagandear convenções que só valem para a minha?

Pensei e cheguei à conclusão de que daremos dez dicas, mas só uma regra. E essa única regra é buscar equilíbrio entre os desejos de todos e curtir o melhor benefício desse tipo de férias: a convivência. Eu tenho certeza de que as memórias das viagens em família são para sempre. Que elas sejam boas!

Agora, vamos às dicas:

1. Faça uma viagem que combine com a sua família
Antes de decidir o destino, a hospedagem e o transporte, pense sobre o perfil da sua trupe e os diferentes desejos de cada um a respeito daquela viagem. O objetivo é descansar? É distrair as crianças e aproveitar para ter momentos de casal? É conhecer lugares novos? É aventura?
Refletir sobre esses pontos vai blindar a viagem contra frustração. Ao contrário do que ocorre quando a gente viaja sozinha, com os amigos ou só com o parceiro (todos adultos e capazes de defender seus objetivos), numa jornada com crianças você precisa levar em conta as necessidades e capacidades delas.
Não invente, portanto, uma fantasia que vai acabar em muita reclamação e estresse. Há crianças que curtem o imprevisto, a agitação e a intempérie. Outras, não.

2. Planeje o roteiro da viagem pensando também nas crianças
Crianças não suportam uma viagem de adulto durante muito tempo. O ritmo e os interesses não são os mesmos. Busque todos os dias pelo menos uma atividade em que eles possam expandir a imaginação, fazer exercício físico e se expressar. Se as suas crianças gostam de pracinha, piscina, de pintar, pode ser isso. Se preferem shopping, cinema, teatro, também. O importante é que aquele momento seja delas.
Mas não pense o tempo inteiro só nos pequenos. Reserve também os momentos "adultos" que você curte. Faz parte do aprendizado da boa convivência que os filhos entendam que um momento é o delas, o outro é dos grandes.

A gente monta roteiros com opções para dias lindos de sol e para dias de chuva

3. Planeje, mas não demais

Faça um roteiro básico com tudo o que vocês desejam fazer e levando em conta o ritmo da família.
A minha é lenta. Conheço outras que são foguetes: fazem em um dia o que eu consigo fazer em três. Depois disso, distribua os desejos nos dias disponíveis.
Tenha esse roteiro à mão, mas não como uma Bíblia. Use-o para reorganizar os dias à medida que os imprevistos surjam. Choveu? Troque o passeio de barco pelo museu. A criança dormiu e ninguém mais consegue acordar? Deixe o jantar no restaurante para o dia seguinte.
Em resumo: faça do roteiro o seu amigo, e não o seu feitor.

4. Pense bem antes de não fazer reservas de hotel
Eu sei que muita gente gosta de só reservar a hospedagem depois de chegar no lugar. Se essa é a primeira vez que você viaja com filhos, pense bem antes de fazer isso. É algo que eu nunca faria, mas conheço muita gente que sobreviveu e bem a isso. Não é uma regra, portanto, é só um conselho.

Leia nosso post sobre como reservar um quarto de hotel para um casal e duas ou mais crianças

5. Leve em conta também a estrutura e a segurança do hotel ou apartamento
Há hotéis e apartamentos de aluguel incrivelmente preparados para receber crianças, com cuidados que vão desde banheira e papinha para os pequenos até check-in especial, videogame no quarto e roupões em tamanho míni. Aqui vale de novo a pergunta: qual o perfil da sua família? Se o conforto é importante para vocês, busque informações e comentários de outros turistas sobre a hospedagem no TripAdvisor, pergunte a outros pais e mães em redes sociais e envie e-mails para o hotel. O mesmo vale para a recreação.
Em qualquer caso, leve SEMPRE em conta a segurança. Preste atenção à criminalidade mas também às condições de saúde. Eu já passei noites em lugares com uma cadeira trancando o trinco da porta, mas JAMAIS ficaria num lugar desses se estivesse junto com meus filhos.

6. Tenha sempre um plano para emergências de saúde
Nunca viaje sem seguro, fora ou dentro do Brasil. Informe-se sobre a localização de hospitais e clínicas. Tenha à mão os telefones de emergência.

7. Identifique seus filhos e treine-os para situações inesperadas
Se eles forem pequenos, coloque nome e telefone no carrinho e junto à roupa. Em locais de multidão como os parques de Orlando, faça-os usar crachás com identificação e telefone ou use tatuagens temporárias.
Se forem grandes, treine-os para o caso de se perderem. A regra aqui em casa é entrar em uma loja, ir até o caixa e dizer o nome e o nosso telefone, preferencialmente para uma mulher. Jamais entrar no carro de ninguém.

8. Relaxe
Seja feliz. Curta. Construa boas memórias.
A gente tem a tendência de sistematizar e organizar tudo, né? RE-LA-XE! Nem tudo vai dar certo. Mas o que der, será muito bom.

9. Ensine a viajar para aprender
- Como são as pessoas neste lugar?
- Quais serão as profissões delas? Onde elas estudam?
- Como funcionam os táxis, os ônibus, o metrô?
- Olhando o mapa, como podemos chegar em determinado lugar?
- Qual será a história desse prédio?
Essas e muitas mais são perguntas que fazemos para os nossos filhos antes, durante e depois da viagem. Pergunte-se e pergunte. As respostas não são o mais importante, mas aprender a perguntar.

Em Machu Picchu, descansando e aprendendo
10. Prepare-os para viajar sozinhos no futuro
Passe adiante essa corrente. Ensine que viajar abre a cabeça, liberta o espírito, alimenta a alma. Deixe que eles vejam o mundo através dos seus olhos, e que esse mundo seja apaixonantemente lindo nas suas diferenças.

E você, quais são as suas dicas de viagem? Conte nos comentários!

Confira os posts de todos os blogs participantes:

34 - Vou Viajar

1 de maio de 2017

Brasileiros com visto americano não precisarão mais de visto para o Canadá

Toronto (Foto: David Mark)
Atualizado em 1o. de maio de 2017

Os brasileiros que tenham visto americano ou que tenham feito o visto canadense nos últimos dez anos não precisam mais passar por um processo de pedido de visto para entrar no Canadá. Quem quiser visitar o país pode obter a permissão via internet, no site do governo canadense (com instruções iniciais em português). É preciso pagar 7 dólares canadenses pela Autorização Eletrônica de Viagem (EAV), e ela é recebida por e-mail no mesmo dia. A permissão valerá por cinco anos ou até o fim da validade do passaporte.

Anteriormente, a documentação precisava ser feita no consulado do Canadá e custava cerca de R$ 350 por pessoa.

Quem poderá fazer a EAV:
- Cidadãos que tiveram um visto canadense nos últimos 10 anos
- Cidadãos com visto americano válido

Veja no vídeo (em português de portugal) como pedir a EAV:


1 de fevereiro de 2017

Datas do Natal Luz 2017/2018 já estão definidas!

Espetáculo Nativitaten - Eu Sou Maria, um dos mais lindos do Natal Luz de Gramado!
O Natal Luz 2015/2016 começará em 26 de outubro de 2017 (quinta-feira) e terminará em 14 de janeiro de 2017 (domingo). Veja quais foram as principais atrações de 2016.

Se você tem planos de ir, comece a se organizar já! Lembre-se: quem reserva hotel com antecedência consegue os melhores locais e melhores preços. Veja a nossa lista com recomendação de hospedagem para o o Natal Luz e confira também o nosso post que ajuda a organizar a mala (sim, lá a gente responde se faz frio ou não nessa época do ano!). Aproveite para também reservar o seu hotel em Porto Alegre e em Bento Gonçalves.

Pense também se você pretende alugar um carro, contratar um transfer ou subir a Serra Gaúcha de ônibus. Neste post, a gente ajuda você a decidir se deve ou não alugar um carro, e neste a gente explica todas as maneiras possíveis de chegar a Gramado (inclusive de helicóptero!).

Você também já pode comprar com antecedência os seus ingressos para o BusTour, para os parques, para o Snowland e para os museus. Não deixe de incluir o passeio de Maria Fumaça e a visita às vinícolas do Vale dos Vinhedos no seu roteiro, e pense em dar um pulo no Itaimbezinho.


Vinícola Miolo, no Vale dos Vinhedos, em Bento Gonçalves
As vinícolas do Vale dos Vinhedos e arredores merecem uma visita de pelo menos dois dias
Maria Fumaça, em Bento Gonçalves, na Serra Gaúcha
A Maria Fumaça é programa obrigatório em Bento Gonçalves (foto: divulgação)
Cânion do Itaimbezinho
Cânion do Itaimbezinho (foto: divulgação)
Cadastre-se no nosso evento no Facebook para conversar com outras pessoas que irão ao evento e ficar sabendo das novidades durante o ano inteiro!

Pra terminar, confira todos os posts do blog sobre Gramado e sobre a Serra Gaúcha.

Tem dúvidas ou gostaria de dar a sua dica? Deixe nos comentários!

Leia também:

26 de janeiro de 2017

Restaurante Caldeira, em Bento Gonçalves: um ossobuco de virar a cabeça (com receita!)


Ossobuco + polenta + ossobuco + polenta + ossobuco + polenta!
Numa região onde o almoço em meio às vinícolas é a grande estrela durante o dia, o restaurante Caldeira, em Bento Gonçalves, é uma das melhores opções de jantar dentro da cidade. Fica em uma ruazinha discreta mas bem acessível e de estacionamento fácil, pertinho do Hotel Laghetto Viverone e do L'America Shopping. O cardápio tem massas, risotos, carnes e até frutos do mar, mas a maior atração é o ossobuco com polenta. Nós já estivemos lá duas vezes e repetimos o prato! Na última vez, o proprietário, Rafael Caldeira, parece que se animou com a visita dos jornalistas e resolveu não só explicar como era feito como entregou a receita, que a gente dá aqui no final do post.

O ossobuco, que é cozido durante quase três horas, vem à mesa junto com a polenta em charmosas panelas de ferro. A refeição é uma daquelas em que a gente serve um pouco de carne e um pouco de polenta, vai comendo e... põe mais ossobuco porque sobrou polenta, e... bota mais polenta porque agora sobrou ossobuco. No fim, não sobra nada na panela.

Os visitantes não economizam elogios nas paredes
Salada do restaurante Caldeira, em Bento Gonçalves
Saladinha com cebolas puxadas no balsâmico e farofa de pão com ervas para aplacar a culpa
A refeição fechou com chave de ouro com uma sobremesa que não foi unanimidade na mesa: sorvete de creme com calda de vinho e cebola. É MA-RA! Se você não tem preconceitos contra cebola (tem gente que não gosta, não tem jeito), prove. PROVE! A cebola, cortada fininha como para ceviche, é passada por uma frigideira para murchar e, depois, cozida em calda de vinho e especiarias. Dio Santo, eu adorei.

Não tenha preconceito: experimente o sorvete de creme com calda de cebolas ao vinho! (foto: Diego Adami)
Não tenha preconceito: experimente o sorvete de creme com calda de cebolas ao vinho! (foto: Diego Adami)
Antes de ir ao Caldeira, ligue e faça uma reserva (infos no final do post). O restaurante está sempre cheio, principalmente aos fins de semana.

Agora vamos ao que interessa:

Receita: Ossobuco com polenta cremosa
(para 4 pessoas)

Ossobuco
– 4 unidades de ossobuco com cerca de 4 cm de altura
– 2 latas de tomates pelados
– 1 taça de vinho tinto (pode ser aquele que você vai tomar com a receita)
– 1 bouquet garni (com manjericão, louro, orégano, alecrim e tomilho)
– alho e cebola picados a gosto
– 1 pimenta dedo de moça picada
– salsão picado
– sal a gosto
Polenta cremosa
– 5 xícaras de caldo de carne ou legumes
– 1 1/2 xícara de farinha de milho média
– 2 colheres de sopa de manteiga
– 1/2 copo de requeijão
– sal a gosto

Comece pelo ossobuco: Numa panela grande, coloque um fio de azeite e frite cada pedaço do ossobuco para selar (até ficar dourado). Retire a carne, coloque mais um fio de azeite na panela (aproveitando aquele tostadinho) e refogue o alho e a cebola. Volte a carne para a panela, tempere com sal e pimenta, coloque o bouquet garni , o salsão e o vinho. Coloque os tomates pelados e um pouco de água, se necessário. Deixe cozinhar lentamente até a carne ficar bem macia (mais ou menos 2 hora e meia), vá colocando um pouco de água (ou caldo de carne) se necessário.


Enquanto a carne cozinha, braços fortes para mexer a polenta. Ferva o caldo e despeje a farinha de milho lentamente, sempre mexendo para não empelotar. A farinha de milho demora uns 30 minutos para cozinhar, então, força! Quando a polenta estiver cozida, desligue o fogo e misture a manteiga e o requeijão.

Restaurante Caldeira
http://restaurantecaldeira.com.br/
(54) 3701.0272
No Facebook: /restaurantecaldeira
No TripAdvisor: /caldeirarestaurante

Leia também:

20 de janeiro de 2017

Vindima na Serra Gaúcha: os programas que você não pode perder

O passeio no tuque tuque colonial é uma tradição da vindima na Serra Gaúcha (foto: Divulgação)
A festa mais alegre da Serra Gaúcha começa em janeiro e vai até março: é a época da colheita da uva na Região da Uva e do Vinho, que compreende o Vale dos Vinhedos, Pinto Bandeira, Caxias do Sul, Flores da Cunha e todos os municípios do entorno. Como nos tempos ancestrais, é tempo de música, vinho e de cultivar as tradições trazidas da Europa. Para os turistas, é hora de botar o chapéu de palha, fazer piquenique embaixo dos parreirais, andar de carroça e amassar uvas com os pés. E de beber e comer bem, é claro

E, ao contrário do que a maioria pensa, a festa da vindima não ocorre só no Vale dos Vinhedos, que acolhe algumas das vinícolas mais famosas do país, como a Miolo e a Casa Valduga. Ela é comemorada em praticamente todos os municípios da região e engloba pequenos e grandes negócios. Ha programa para todos os gostos e bolsos, portanto.

O que você PRE-CI-SA fazer nessa época:
- Pisa da uva - literalmente, pisar nas uvas com os pés dentro de uma tina, como se fazia antigamente. Manchou a roupa? Não tem problema, é só usar a dica da nonna (vai ter uma ali do lado pra dizer isso a você): não lave com sabão. Use só agua, vinho branco ou vinagre de vinho branco. Pra mim deu certo.
- Colheita da uva - dá pra fazer na programação de uma vinícola, hotel ou agência (várias opções abaixo) ou na beira da estrada. Alguns agricultores permitem que você pague por uma caixa e colha.
- Piquenique - há várias opções de programação turística, mas você também pode montar a sua sacola com os produtos coloniais vendidos em toda parte, adicionar vinho e suco de uva, pedir licença e sentar embaixo de uma árvore. Não é o que o pessoal faz quando vai à Europa? Quem vai nos impedir por aqui?

Um alerta prático: faça seu planejamento e reserve sempre, mas não desista se você decidir tentar fazer algo no mesmo dia. Basta telefonar antes.

Veja alguns dos destaques da programação 2017 que nós separamos para vocês:

Pisa da uva na vinícola Cainelli
Fascínios da Vindima - é um pacote especial da Giordani Turismo que começa com uma das melhores experiências da colheita da uva em Bento Gonçalves: a da Vinícola Cainelli. A atividade, realizada em uma vinícola histórica da Rota Turística do Rio das Antas, é feita de tuque tuque e tem duas atrações imperdíveis: o seu Nei Tomasi, um "colono" típico contador de piadas, e a música italiana ao vivo, executada pelo jovem carismático Samuel Pedrotti e um coral de nonnas italianas. Mas não é só: o visitante colhe as uvas, degusta o merendim (lanche que os agricultores faziam embaixo dos parreirais durante a colheira) e depois amassa as uvas na tina de madeira. No fim, há a prova dos vinhos do jovem enólogo Roberto Cainelli Jr. Programa inesquecível e indicado para todas as idades!

A cultura italiana presente na vindima na vinícola Cainelli

A seguir, já bem alegre, a turma embarca para a Salton, que é o oposto da familiar Cainelli: uma estrutura industrial impressionante montada dentro de um prédio belíssimo adornado com obras de arte e jardins italianos. Na sofisticada sala de degustação, o visitante prova seis vinhos harmonizados com queijos e chocolates, e é apresentado à questão: vinho combina com chocolate? Eu agora tenho a minha opinião. Qual é a sua?

Paz, beleza e tranquilidade na vinícola Cristófoli

Agora, com o apetite de todo mundo aberto, o passeio tem o seu gran finale na vinícola familiar Cristófoli, na Rota Turística das Cantinas Históricas. Lá, depois de tomar o vinho doce (refresco de suco de uva fermentado que só é encontrado na época da vindima), o pessoal degusta uma refeição harmonizada de quatro pratos numa mesa coletiva rodeada por tonéis de madeira antigos. O cardápio inclui uma focaccia maravilhosa, salada com molho secreto (adorei tentar adivinhar qual é a fruta-surpresa), massa artesanal com tomatinhos assados, lombo recheado com geléia de abacaxi e pimenta e o melhor sagu que já comi na vida: de espumante com morangos.

O pacote Fascínios da Vindima é oferecido aos sábados e custa R$ 294 por pessoa (crianças até 5 aos não pagam, e de 6 a 12 anos pagam meia). Grupos de mais de 10 pessoas podem marcar para outros dias da semana. No Carnaval, será oferecido no sábado, domingo e segunda-feira. Reservas diretamente na Giordani Turismo: (54) 3455.2788 ou turismo@giordaniturismo.com.br
A atividade só na Cainelli pode ser reservada diretamente: (54) 3458.1441 ou contato@vinicolacainelli.com.br
O almoço pode ser reservado diretamente na Cristófoli: (54) 3439.1190 ou cristofoli@vinhoscristofoli.com.br

Veja outros passeios em Bento Gonçalves oferecidos pela Giordani Turismo

Piquenique embaixo dos parreirais na vinícola Larentis
Piquenique embaixo dos parreirais na vinícola Larentis
Piquenique na vinícola Larentis - Você sonha com um daqueles piqueniques na Toscana ou na Borgonha? Dá pra fazer um igualzinho na vinícola Larentis, no Vale dos Vinhedos, pagando em reais! Custa 70 reais por pessoa e pode ser feito de setembro a abril, nas tardes dos sábados e domingos. Inclui um espumante para cada duas pessoas, tábua de frios e pães, toalha, almofadas e uma vista espetacular. Prefira fazer num final de tarde. Reservas: larentis@larentis.com.br ou (54) 3453.6469

A uva colhida nas noites de lua cheia na Larentis será usada em um vunho especial  enviado para a casa dos participantes no ano seguinte
A uva colhida nas noites de lua cheia na Larentis será usada em um vinho especial
 enviado para a casa dos participantes no ano seguinte (foto: Divulgação)
Colheita Noturna na vinícola Larentis - Ocorre somente em dois dias em 2017: 11 de fevereiro e 4 de março. As datas são especiais porque coincidem com a lua cheia. O grupo é limitado a somente 30 pessoas por noite, que colhem as frutas com o auxílio de lanternas fixadas na cabeça. O vinho elaborado com essas uvas, chamado Colheita Noturna, é enviado para a casa dos participantes no ano seguinte. Custa R$ 200 por pessoa e inclui espumante, tábua de frios e prato quente.
Para reservar, entre em contato: larentis@larentis.com.br ou (54) 3453.6469

Brie com geléias de banana e de pimenta no Wine Garden da Miolo
Fim de tarde no Wine Garden da Miolo - Relaxamento total nos tapetes, almofadas e pallets espalhados pelo gramado da lindíssima vinícola Miolo. Descanse do trabalho duro colhendo e amassando uvas enquanto as crianças se divertem no espaço kids. Belisque pratos como empanadas e o queijo brie com castanhas de caju e geléia de banana. Se ainda houver bateria em algum aparelho eletrônico, bata umas fotos, mas não se esforce muito. Não é preciso fazer reservas, mas não espere atendimento rápido se for um dia de alta lotação. O espaço kids custa 48 reais a hora mas inclui lanche ou piquenique e brincadeiras a valer no bosque. Os pais também podem deixar as crianças entre 4 e 11 anos com os monitores enquanto visitam outras vinícolas: o período inteiro custa 148 reais. O Wine Garden funciona o ano inteiro nos finais de semana e feriados, das 10h às 18h30.

A colheita da uva é uma atração para todas as idades na vindima
A colheita da uva é uma atração para todas as idades na vindima
La Bella Vindimia, no Hotel Villa Michelon - Em todos os fins de semana, entre 13 de janeiro e 24 de março, a programação começa na sexta à tardinha, com uma visita à Casa do Filó e ao Memorial do Vinho. Em seguida, é hora de ir para o parreiral colher uvas e fazer a pisa das frutas dentro de tonéis como antigamente. É o ponto alto da festa para as crianças! Depois, ao por do sol, vem a colazione, que é a refeição com produtos coloniais típicos que os agricultores faziam no campo. Tem pão, embutidos, queijo e, é claro, suco de uva e vinho! 
O evento é fechado somente para hóspedes e custa R$ 719 por pessoa, incluindo duas diárias.

A pisa da uva é uma das tradições da vindima na Serra Gaúcha
Vamos sujar os pés e pisar a uva, como antigamente?
Compassos da Merica Merica - Esse roteiro está disponível durante o ano todo em Flores da Cunha, mas se veste de vindima nessa época e oferece a colazione, a colheita da uva, passeio de carreta e a pisa da uva, entre outras atrações. É uma região lindíssima, com vista para o Vale do Rio das Antas, cheia de pequenas propriedades onde o turista pode conhecer de perto a rotina dos agricultores.
Informações e reservas: (54) 9694 4154 e contato@compassosdamerica.com.br




Wine Movie Peterlongo - A brincadeira aqui é assistir a um filme nos jardins da Peterlongo, junto aos parreirais localizados no centro da cidade de Garibaldi. Os visitantes poderão colher uvas e comer durante o filme. No dia 3 de fevereiro, será exibido a O Fabuloso Destino de Amelie Poulan. O ingresso custa R$ 30 se comprado com antecedência ou R$ 40 na hora. O limite é de 120 pessoas e os ingressos das edições anteriores se esgotaram rapidamente. Nós estivemos lá na inauguração do Wine Movie, em setembro de 2016 e contamos tudo neste post.

Degustação às cegas (literalmente) na vinícola Dal Pizzol
Degustação às cegas na vinícola Dal Pizzol - É uma experiência inesquecível. Vendados, os visitantes são convidados a estimular os sentidos e tentar adivinhar o conteúdo dos copos que lhes são oferecidos.
Reservas: (54) 3449.2255 ou dalpizzol@dalpizzol.com.br
O tour da Brocker Turismo sai de Gramado e Canela e inclui visita e almoço ao ar livre na vinícola Cristofoli e a degustação na Dal Pizzol à tarde (clique para reservar)

Clique para ver a programação completa de várias cidades da Serra Gaúcha: