Sheraton Rio: excelente hotel para viagem com crianças

Escolher hotel no Rio sempre me rendeu um trabalhão. Nós gostamos de ficar perto do coração de Ipanema, e as opções na região são poucas e caras. Depois que tivemos as crianças, ficou pior: não é muito fácil achar quartos quádruplos em nenhuma região do Rio. Fazer a reserva via internet, então, é impossível. Nenhum site aceita a opção “2 adultos, 2 crianças” no mesmo apartamento. Todas as vezes em que conseguimos algo até agora foi por telefone.

Alguns amigos já haviam nos recomendado o Sheraton Rio Hotel & Resort. Os principais argumentos a favor eram a belíssima vista e a estrutura do hotel. Minha maior objeção era a distância. Uma das coisas mais legais do Rio é poder fazer muitas coisas a pé, e o Sheraton, apesar de ficar bem pertinho do Leblon, não fica NO Leblon. É possível chegar lá caminhando, mas não com duas crianças.

Desta vez, decidimos tentar. Programamos 11 dias, começando no sábado anterior ao Carnaval. Não nos arrependemos: o Sheraton virou meu hotel preferido para passeios ao Rio com as crias. Ele mistura dos benefícios de um mini-resort com os de um hotel urbano. Em resumo: dá pra passar a manhã operando em modo Bahia (tomando coquetéis enfeitados com guarda-chuva na piscina enquanto as crianças brincam no kid’s club) e passar a tarde em modo Rio (indo ao teatro, ao cinema, olhando as vitrines no quadrilátero chique de Ipanema ou vendo uma exposição do Modigliani ou da Tarsila no Centro).

O Sheraton visto da praia. Ao fundo, o Morro Dois Irmãos
Praia vista do deck. Ao fundo, vê-se o bairro de Ipanema
O amplo deck tem várias áreas de descanso com vista para a praia. Ao fundo, as Ilhas Cagarras (aquelas mesmas
que se pode ver das praias de Ipanema e Leblon)
A praia tem uma vertente de água escura. O boletim de balneabilidade do Estado do Rio diz que o banho
deve ser evitado próximo a essa saída de água, e também durante 24h após chuvas

Eu não faço questão de praia, porque odeio água fria, e água de praia é sempre fria. Até no Caribe eu achei meio fria. Em piscina eu só entro em caso de calor extremo e água em temperatura decente. Pois amei o Sheraton nesse quesito também: as piscinas ao ar livre são aquecidas. Sim! Yes!

Além disso, é quase impossível não achar o seu cantinho ideal na área de lazer: a piscina principal é grande e a infantil fica ao lado. As espreguiçadeiras e os guarda-sóis são abundantes e há bastante sombra e bastante sol. Além disso, há uma outra piscina de bom tamanho num local mais sossegado.

Os pais também podem ficar tranquilos: a profundidade está bem delimitada com bóias, os recreacionistas estão sempre por ali e durante o dia há dois salva-vidas de plantão.

O único defeito é o serviço na piscina, que é bem deficiente. Conseguir um garçom é um milagre. O ponto positivo é que, quando se põe a mão no sujeito, ele é extremamente solícito e eficiente. Além dos tradicionais drinques pseudotropicais e da cervejinha, pode-se pedir sanduíches, pizza feita na hora no forno a lenha, espaguetes com molho, filés e diversos aperitivos. O preço em alguns casos é alto, sim. Um refrigerante, com a taxa de serviço, saía por R$ 7,50. Mas conseguimos achar uma fórmula decente de almoçar à beira d’água: pedíamos uma pizza e um espaguete e dividíamos entre os quatro. As porções são bem grandes, e a conta saía por algo em torno de R$ 60. Se fôssemos pegar um táxi para almoçar em um buffet em Ipanema ou em algum shopping, sairia mais caro.

Piscina principal
Os recreacionistas (de laranja) mantém a criançada ocupada dentro da piscina. As áreas profundas são delimitadas
com bóias
 
Salva-vidas do hotel estão sempre de olho nas piscinas (e, embora não faça parte do seu trabalho, às vezes
 também na praia)
Avisos alertam os hóspedes sobre os riscos da praia: as ondas e, é claro, os ladrões. Os gringos devem achar
que a praia é privativa, mas não é
Os quartos são um capítulo à parte. Um bom capítulo. O interior é legal mas não tem nada de extraordinário. As camas são confortáveis, a tevê é boa, os espaços são grandes, o chuveiro é excelente e a limpeza não deixa a desejar. Além disso, as unidades têm uma coisa americana que eu adoro: tábua de passar e ferro. 
O extraordinário está do lado de fora: a vista. É impossível parar de admirar. Nós ficamos num quarto Deluxe no décimo andar, de frente para o mar. Nos 11 dias, em todas as vezes que eu entrava no quarto, meu queixo caía.
Nascer do sol (seis da manhã!) visto do quarto no décimo andar
Nascer do sol com Ipanema ao fundo
Praia num domingão vista do quarto
Praia vista do quarto
Tem como não babar todos os dias?
Peguei esta foto do site do Sheraton. É muito fiel à realidade. O meu quarto era ainda melhor do que este:
a vista era só da praia, não tinha esse pedaço “montanha”

No quesito alimentação, a nota é média. Ótima mesmo é a boa vontade das equipes em atender bem ao comensal. No café da manhã, os garçons estão sempre servindo a mesa, mantendo limpa, oferecendo omelete e ovos e mimando as crianças (os meus ganharam uma dúzia de livrinhos de colorir).

Durante o dia, a opção é o serviço na piscina (ache um garçom, ache!) e os dois restaurantes próximos. Um deles, o Casarão, oferece um buffet bem legal, mas não dá pra entrar lá com roupa de banho (idiossincrasia completa). O outro, a Cachaçaria, tem pratos simples (praticamente os mesmos da piscina) e uma boa pizza feita na hora em forno a lenha.

À noite, como em qualquer hotel, a coisa é meio caída. Além dos dois restaurantes das piscinas, há também o Mirador, que tem uma vista belíssima e um cardápio pretensioso. O clima, no entanto, é de fim de festa e a descrição da comida é bem melhor do que o gosto.

O restaurante Casarão fica ao lado das piscinas e serve buffet no almoço. Você não pode entrar nele usando roupa de banho (o que me parece esquisito mas deve estar de acordo com algum protocolo gringo de pudor) 
O buffet oferece uma variedade grande de saladas e de pratos quentes de boa qualidade. O menu é temático (mineiro, “brasileiro”, baiano, etc) e varia todos os dias. Se faltar algo de que você gosta, os garços buscam de bom grado na cozinha de um dos outros restaurantes
Num canto, há carnes assando na churrasqueira. Sou gaúcha e muito chata no tocante a esse tema. Não gostei. Me atirei em outras coisas: moquecas, casquinhas de siri, camarão, acarajés…
O restaurante Casa da Cachaça também fica ao lado da piscina e oferece pratos rápidos e pizzas  

 A partir do sábado de Carnaval, nosso “status” no hotel mudou e passamos para o que a rede chama de “Sheraton Club”. A princípio, tínhamos direito a mudar para o quarto andar, cujas acomodações têm uma sacada maior. Visitei os quartos e achei com muito cheiro de praia. Provavelmente é porque eles ficam na ala antiga do hotel. A vista também era pior.

Ficamos no décimo andar, portanto, mas passamos a frequentar o “Club Lounge”, que é uma espécie de sala VIP onde se pode tomar o café da manhã, ver tevê, ler revistas e relaxar. A única vantagem que vi no café da manhã foi a máquina Nespresso (que por si só já me faria escolher o Club pela eternidade). Já as crianças sentiram falta da variedade de sucrilhos e de iogurte líquido do café no salão grande e, no segundo dia, exigiram voltar à companhia da plebe.

A notícia boa para os adultos é que, a partir das 17h, o club serve cervejas e drinques free, além de frutas frescas a qualquer hora do dia. E tem a Nespresso!!!

O kids club – chamado Sheratoons – estava incluído nos nossos pacotes, mas descobri que não está em todos. É bom perguntar antes de fechar a reserva. A recreação é razoável, e o espaço fechado é amplo e tem jogos bem variados. O que eu nunca consigo entender em hotel é por que a área infantil parece um bunker. Nunca tem muitas janelas e é sempre escondido. As crianças não tem direito a vista também?

A academia é um ponto bom do hotel: bem equipada, com várias esteiras de boa qualidade, área para yoga e relaxamento e um instrutor permanente.

O momento chato do Sheraton foi o de fechar a conta. Não que tenham enfiado a mão no nosso bolso: o preço final foi exatamente o que imaginávamos. O problema é que eles não conseguiram cumprir nenhum dos acordos de formato de pagamento que fizeram conosco: o pacote dos 4 dias de Carnaval era para ter sido debitado no meu cartão em 3 vezes e eles debitaram em uma. O restante da estadia era para ter sido pago no cartão do meu marido e eles também debitaram no meu. Além disso, meus pontos no Starwood Preferred Guest (o programa de fidelidade da rede) apontam uma permanência de quatro dias, e eu fiquei onze.

Estou, aliás, até hoje esperando que eles me liguem para pelo menos se desculpar por não terem cobrado a estadia em 3 parcelas. Já me enviei e-mails, deixei recados telefônicos e até agora nada.

Luciane Aquino

Militante da economia digital, jornalista, viajadora, curiosa, leitora, tricoteira.

1 Comment
  1. Deixei um comentário em outro blog e depois vi que este está mais atualizado que o outro. De qualquer forma, se você puder me passar alguma forme de contato pelo e-mail (guilherme.salviati@cbn.com.br). Sou repórter da rádio CBN e estamos fazendo uma matéria sobre turismo de risco. obrigado!

Leave a Reply

Your email address will not be published.

VouViajar

contato@vouviajar.blog.br
+5551996782790

RBBV
VouViajar
Receba nossas dicas de viagem por e-mail: